Dicas da HR Hunter Consultoria de Recrutamento e Seleção no Rio de Janeiro.

“Procuramos profissionais dinâmicos, pró-ativos, organizados, de fácil relacionamento interpessoal”

         Pois é. Você se depara com uma vaga com esses pré-requisitos e não sabe o que fazer? Como deixar isso claro para o selecionador? Veja o comentário de Ana Paula: “Este tipo de característica não deve ser mencionada no currículo, pois são informações subjetivas e que não podem ser avaliadas por meio de um documento. No currículo o profissional deve citar apenas situações concretas, ou seja, os resultados alcançados com seu trabalho, os conhecimentos e experiências na área de interesse, formação etc. No entanto, características subjetivas devem ser mencionadas no momento da entrevista, onde terá oportunidade de relacioná-las ao seu dia-a-dia de trabalho, dando maior credibilidade a elas”.

         Ana comenta, ainda, que esses pontos serão mais demonstrados que propriamente citados. No entanto, caso o selecionador questione sobre eles, o ideal é mencioná-los junto a um exemplo do dia-a-dia de trabalho, pois desta maneira dará maior credibilidade ao diálogo. Além disso, mesmo antes de ser questionado, se o entrevistado perceber a importância de determinada característica, poderá enfatizá-la, embutindo a mesma em algumas questões.

Veja algumas perguntas e as respostas mais adequadas:

– Como você descreve sua própria personalidade?

         Nunca descreva sua personalidade como MARCANTE, DIFÍCIL ou FORTE para o selecionador. Estas características podem denotar uma pessoa “encrenqueira”, difícil de se conviver no dia a dia, ou forte demais a ponto de ser intransigente. Tente passar uma ideia de personalidade cooperativa, entusiasta, criativa, conciliadora, objetiva e prática. E fale de sua marca registrada: o que diferencia você das outras pessoas?

 

– Por que você quer sair da empresa?

         Todo profissional entra em uma organização para resolver problemas. Se, passado muito tempo e sem uma clara visão externa da empresa, ele começa a FAZER PARTE do problema, está na hora de mudar de emprego (antes que façam isso por ele). Como dizer isso de forma mais amena para os recrutadores? Aí vão, novamente, respostas prontas que sempre funcionam: “Procuro novos desafios”, “Eu tenho um bom potencial, o mercado está ruim, mas eu acredito em mim”.

 

– Quais seus objetivos em longo prazo?

         Fale em termos profissionais, sendo bem objetivo: ser diretor de engenharia, gerente-geral ou algo similar. Mostre que traçou metas, pretende fazer cursos, MBA e idiomas.

– Quais são seus objetivos em curto prazo?

Seja específico. “Quero ser gerente de vendas, por exemplo, ou outro cargo ascendente em minha carreira”, lembrando sempre o cargo em questão.

 

– O que você procura em um determinado emprego?

Desafio, envolvimento e chance para contribuir para a empresa.

– Você é capaz de trabalhar sob pressão e com prazos definidos?

Sim. Dê exemplos de seus trabalhos anteriores.

– Por que você acha que devemos contratá-lo?

         Conte os benefícios que você vai trazer e como pode, com seu desempenho, gerar lucros para a empresa.

– Liste as cinco maiores realizações em sua carreira ou em seu emprego atual.

         Escolha bem essas realizações e mencione aquelas mais recentes e condizentes com seu objetivo profissional.

 

– Quanto tempo necessita para trazer uma contribuição para a nossa empresa?
Desde o primeiro dia e cada dia mais à medida que conhecer melhor a organização.

 

– Quanto tempo pretende ficar conosco?

         Enquanto houver oportunidade para crescer, progredir e contribuir para a empresa.

 

– O que você acha do seu chefe anterior ou atual?

         Nunca se deve falar mal. Cite algo positivo relacionado ao perfil profissional do mesmo, como “acho que é um profissional competente.”

 

– Você poderia descrever alguma situação na qual seu trabalho tenha sido criticado?
Não deve reconhecer críticas ao seu trabalho, mas dizer que, às vezes ele foi discutido, mas não criticado.

 

– Você é um líder? Dê exemplo.

         Responda a essa pergunta com realizações do seu passado.

 

– Você ajudou a reduzir custos? Como?

         Exemplifique com resultados e realizações.

– O que os seus subordinados pensam de você?

         Resposta sugerida: “competente, sou respeitado e admirado”.

 

– Fale sobre você.

         Essa resposta deve ser muito bem-praticada. Procure ser sucinto, direto e focalize os resultados. Fale somente sobre assuntos profissionais.

 

– O que suas referências vão falar a seu respeito?

         Tente vender. Demonstre que eles vão falar positivamente a seu respeito, com elogios por sua capacidade de atingir resultados positivos. Aproveite para apresentar sua lista de referências nessa hora.

 

– Que tipo de decisões são mais difíceis para você?

         Deve demonstrar sua capacidade analítica e dizer que aborda o processo decisório de forma lógica, identificando as alternativas e as premissas da decisão. Como ser humano, deverá dizer que as decisões mais difíceis são aquelas referentes à vida de seus subordinados.

 

– O que você sente dificuldade para realizar?

         Outra vez não se deve mencionar nada negativo, só positivo. Dizer que enfrenta as necessidades de seu trabalho e que não escolhe serviço.

 

– Com que tipo de pessoa você encontra dificuldade para trabalhar?
Novamente não mencione nada de negativo. Diga que você se adapta às necessidades do trabalho e que se relaciona facilmente, tanto com operários como com a diretoria da empresa.

Fonte: Portal Carreira & Sucesso.

HR Hunter, Consultoria de Recursos Humanos do Rio de Janeiro, tem como expertise: Recrutamento e Seleção, Treinamento Comportamental, Plano de Cargos e Salários, Pesquisa de Clima e Coaching.