Dicas HR Hunter Consultoria de Recursos Humanos no Rio de Janeiro

Rotatividade nas empresas: o custo do Recrutamento e Seleção em sua empresa.

 

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulgou, há algum tempo, os resultados de uma abrangente pesquisa sobre rotatividade e flexibilidade no trabalho. Aqui, entretanto o foco será a rotatividade e o custo do processo de Recrutamento e Seleção.

 

Inicialmente é necessário esclarecer que rotatividade significa a substituição de um colaborador por outro e não cortes ou acréscimo de postos de serviço.

 

Neste aspecto, a pesquisa mostra que a rotatividade no Brasil é uma ação corriqueira e de certa forma banalizada, como algumas pessoas podem imaginar. Por não haver uma regra específica para reger esse movimento, pois muitos gestores trocam colaboradores e fazem deste procedimento uma rotina.

 

A pesquisa analisou 40 países e constatou que o Brasil está entre as nações que pouco protege os colaboradores contra demissões individuais e que não protegem contra demissões coletivas, de uma vez que não possui leis específicas. Entre os pesquisados apenas a Indonésia, a Índia e o Chile estão na mesma situação do Brasil.

 

Constatou-se que mais da metade das demissões são sem justa causa e por iniciativa do empregador e apenas 1,5% ocorre por justa causa com iniciativa do empregador.

 

É importante destacar que, quando se cita “sem justa causa” é levado em consideração apenas o que é informado pelas empresas na RAIS (Relação Anual de Informações Sociais). E esse fato impede um estudo mais detalhado das razões específicas.

 

A boa notícia é que você pode fazer um levantamento interno com informações bem específicas e direcionadas. E, claro, usá-lo em prol da sua gestão. Com as informações obtidas, é importante que cada gestor faça uma análise do seu papel e sobre como está contribuindo para fortalecer ou mudar esses dados.

 

Esteja aberto às mudanças. Você pode até acreditar que a sua atuação está boa neste aspecto. Entretanto, acredite: nada está tão bom que não possa ser melhorado. Você pode fazer um relatório bem elaborado, pesquisando, contatando os envolvidos, buscando informações nas entrevistas de desligamento, fazendo um acompanhamento do que aconteceu com a equipe que foi envolvida na mudança, adaptar e usar uma análise SWOT do processo etc.

Sempre buscando informações que sejam importantes para o desenvolvimento do seu trabalho. Assim, responda: o que você precisa saber sobre os processos de rotatividade na sua empresa? Com as respostas, você deverá direcionar o seu trabalho.

 

Outra opção, é fazer com que você, por exemplo, recorde os últimos desligamentos de colaboradores que realizou.

 

De uma maneira geral, analise o quanto esses procedimentos custaram versus os benefícios que foram obtidos por sua equipe e pela empresa, como um todo, diante de uma nova contratação.

Ao realizar essa análise, lembre-se que em todas as ocasiões, inclusive nesta, existem pontos positivos e pontos negativos, não é verdade? Como pontos positivos para a substituição, podem ser destacados que a chegada de “sangue novo”, ou seja, novos integrantes possibilitam uma nova dinâmica à equipe, com novas ideias, novos entendimentos, novas motivações. Além do mais, despertam alguns colaboradores que estavam funcionando no automático, sem criar ou vislumbrar novas oportunidades e melhorias nos negócios.

 

Como pontos negativos, podem ser destacados os custos com processos de recrutamento e seleção, com integração e capacitação, tempo necessário à adaptação do novo colaborador (entenda-se redução da produtividade).

Texto extraído e adaptado do site de RH.

 

 

HR Hunter, Consultoria de Recursos Humanos do Rio de Janeiro, tem como expertise: Recrutamento e Seleção, Treinamento Comportamental, Plano de Cargos e Salários, Pesquisa de Clima e Coaching.