Homens X mulheres: confira dicas para driblar as diferenças no trabalho

Coaching’ orienta profissionais a estimular em si habilidades do gênero oposto

Será que a velha rivalidade entre homens e mulheres no mercado de trabalho dura até os dias de hoje? Tradicionalmente, os homens sempre tiveram mais espaço, melhores cargos e salários. Mas não é novidade para ninguém que as mulheres estão, cada vez mais, invadindo um território que antes era só deles. De acordo com o IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, nos últimos 30 anos,  o número de mulheres no mercado de trabalho quase dobrou no Brasil, subindo de 26% para 45,6%.

E para entender um pouco melhor esse dilema, o Mais Você foi consultar a coaching Mariana Carvalho, que deu dicas de como homens e mulheres podem conviver e produzir muito bem no trabalho, mesmo estando em maioria ou minoria na empresa. Confira!

Antes de qualquer coisa, existem duas diferenças: a primeira é a diferença biológica entre os gêneros homem e mulher. Somos diferentes, isso é um fato; outra coisa é o feminino e o masculino. O que é a energia feminina e o que é a energia masculina? Isso, todos nós temos dentro de nós. Os homens, obviamente, uma energia masculina mais forte e as mulheres uma energia feminina forte.  São dessas características que a gente fala: o homem tem mais propensão a assumir riscos e a focar em resultado; as mulheres são mais protetoras, mais sensíveis e intuitivas. No fundo, todos nós temos e podemos desenvolver essas habilidades;

 

Conheço instituições, empresas, extremamente masculinas, formadas por homens e mulheres e conheço instituições femininas, formadas por homens e mulheres. Dependendo do cargo e da posição da pessoa, ela vai desenvolver algumas habilidades mais masculinas ou mais femininas. O jeito masculino e o jeito feminino, de fato, existem, mas podem ser balanceados e equilibrados com o treinamento. Todos podem desenvolver habilidades ao longo da vida e ao longo da experiência profissional;

O mais legal é conseguir entender qual é a cultura da sua empresa, o que tacitamente ou explicitamente você deve fazer ali dentro. O que é aprovado, o que é reprovado. O cuidado que cada um deve ter e a reflexão que cada um pode levar, se está fazendo ou deixando de fazer alguma coisa por ser homem ou mulher. O maior bloqueio, muitas vezes, está na nossa própria cabeça. Como a gente se vê com direito ou com competência suficiente para seguir adiante na nossa carreira; e

Existe sim o ar-condicionado, o banheiro exclusivo ou questões de vocabulário que são diferentes, mas devemos obedecer a regras de convivência que sejam agradáveis e comuns a todos. Que os ouvidos sempre estejam bem abertos para aceitar críticas e ouvir sugestões e que elas sejam colocadas de uma forma também respeitosa. É possível a convivência, somos diferentes e que bom que conseguimos nos entender.

 

Fonte: Site http://tvg.globo.com

 

HR Hunter, Consultoria de Recursos Humanos do Rio de Janeiro, tem como expertise: Recrutamento e Seleção, Treinamento Comportamental, Plano de Cargos e Salários, Pesquisa de Clima e Coaching.