Importância de uma política de Gestão de Pessoas

“Eu sou parte de uma equipe. Então, quando venço, não sou eu apenas quem vence. De certa forma termino o trabalho de um grupo enorme de pessoas!”

(Ayrton Senna da Silva – Piloto brasileiro de Fórmula 1 que foi três vezes campeão mundial).

Grandes autores da área de Gestão de Pessoas como Bacon, Redman e Snell, entre outros, concordam que as pessoas assumiram papel estratégico e relevante nas organizações.

Desta forma a área de Gestão de Pessoas não deve ter papel tradicional de suporte, mas, sim, constituir competência essencial organizacional, uma vez que os recursos humanos são responsáveis pela produção de conhecimento, constituindo uma fonte de vantagem competitiva, devendo ser valorizados e desenvolvidos através de políticas de Gestão de Pessoas.

Percebe-se que as políticas de Gestão de Pessoas assumem conotação especial no desenvolvimento, na valorização e retenção de talentos.

Nesse sentido, políticas adequadas devem promover um comprometimento dos empregados e, como consequência, uma boa vontade neles de agir de maneira flexível e adaptativa rumo à busca da excelência nas organizações.

Uma estratégia empresarial que vise à produção e oferta de produtos e serviços de valor agregado deve concernir o desenvolvimento e a implantação de políticas de Gestão de Pessoas que produzam empregados de alta qualidade que, na verdade, constituem “a diferença que faz a diferença”.

Ayrton Senna foi um dos maiores pilotos de Fórmula 1 que o mundo já viu.

Ele sabia da importância do papel estratégico de cada integrante de sua equipe para alcançar a vitória final e subida ao Podium.

Ele praticava a valorização de cada um dentro de uma visão de Gestão de Pessoas.

E, o mais interessante é que foi em um momento no qual muitas empresas ainda nem iniciavam o processo de valorização das pessoas através de práticas e programas.

A área de Recursos Humanos tem seu papel fundamental na implantação e sustentação de políticas de pessoas, mas, caberá oportunamente, a cada Gestor, pensar de forma dinâmica e ao mesmo tempo humilde de que o sucesso não depende unicamente de si, mas de toda a equipe que está engajada e que aceitou o chamado de participar com suas emoções na conquista do resultado final!

Por: Patricia Ventura

HR Hunter, Consultoria de Recursos Humanos do Rio de Janeiro, tem como expertise: Recrutamento e Seleção, Treinamento Comportamental, Plano de Cargos e Salários, Pesquisa de Clima e Coaching.