Sempre à busca de novos talentos nos processo seletivos.

O constante crescimento do mercado faz com que além do investimento na tecnologia de última geração, as organizações também tenham suas atenções voltadas para a permanente captação de talentos nos processos de Recrutamento e Seleção. E isso, por sua vez, não significa apenas contratar um profissional para preencher uma vaga, mas identificar um colaborador que mais se identifique com as competências necessárias ao negócio. Na Leroy Merlin, há cinco anos a Gestão de Pessoas instituiu o Programa Jovens Profissionais para encontrar as pessoas que tragam o diferencial para a companhia. A Leroy Merlin chegou ao Brasil em 1998 e é considerada uma multiespecialista do lar, por ser especializada em construção, acabamento, bricolagem, decoração e jardinagem. Atualmente, a rede francesa possui 29 lojas distribuídas em seis estados brasileiros e o Distrito Federal. Com o principal objetivo de formar e desenvolver futuros líderes, o programa tem sido um suporte para o plano de expansão da empresa. De acordo com Cynthia Serotti, diretora de Recursos Humanos da Leroy Merlin, a área de RH é a responsável pelos Jovens Profissionais, ou seja, desde o planejamento até a contratação. Vale ressaltar que logo na primeira edição do programa em 2009, a empresa buscou um parceiro externo para dar apoio à logística do processo de Recrutamento & Seleção. O interesse nessa opção, argumenta Serotti, foi de possibilitar uma maior concentração na etapa de seleção, considerada como sendo a mais delicada de todo o processo. “Nós buscamos internamente a participação dos gerentes de RH das regionais e também dos tutores que farão o acompanhamento e garantiram o aprendizado dos JPs durante todo o programa”, comenta a diretora de RH, ao acrescentar que o programa está pautado tanto na fase de R&S quanto no Treinamento e Desenvolvimento dos talentos que chegam à empresa. A prática – O Programa Jovens Profissionais tem início com o processo de recrutamento que acontece via hot site, onde o candidato pode conhecer a Leroy Merlin, a filosofia, os valores e a cultura da organização. Na etapa de seleção, o  jovem faz testes de lógica e de estudos de caso (on-line) e os selecionados participam de dinâmicas de grupo. Após esta “etapa”, os escolhidos participam de um painel final com a alta diretoria da empresa. Os aprovados iniciam sua atuação na empresa, logo na primeira quinzena de julho, em regime CLT. Durante o programa, que possui duração de 18 meses, são realizados sete módulos de treinamento técnico/comportamental, perfazendo um total de 168 horas de formação e mais 13 horas de formação on-line. Além disso, cada JP é acompanhado por um tutor – um gerente de loja, que tem a missão de desenvolver o participante do programa. Ao final dessa jornada, o candidato tendo absorvido os valores da Leroy Merlin e demonstrado sua capacidade, tem toda a chance de ser direcionado para um cargo de gerência. Outro fator relevante é que todos os JPs devem trabalhar um projeto em loja, que será apresentado aos diretores da empresa ao final do primeiro ano do programa. Além do tutor que faz acompanhamentos formais mensais com o Jovem Profissional, ele também é acompanhado formalmente, a cada três meses, pela gerente de RH regional, pela área de desenvolvimento e pelo diretor da loja onde está se desenvolvendo. “Sempre utilizamos as redes sociais para dar respaldo ao programa. E os Jovens Profissionais sempre está sendo divulgado em blog, sites direcionados para o público-alvo do nosso programa. Sempre temos o objetivo de ter a máxima amplitude de divulgação possível, sem restrição de região ou cidade”, enfatiza Cynthia Serotti. Critérios – Para se candidatar ao Programa Jovem Profissional, o interessado deve ter formação superior completa, disponibilidade para mudança e residência fixa em outras localidades após a conclusão do programa e mobilidade para trabalhar aos finais de semana. Zona de conforto – Ao ser indagada se de alguma forma, os Jovens Profissionais gerou “oposição” interna em relação aos líderes que já atuavam na Leroy Merlin, a diretora de RH menciona que todo programa que trabalha com o desenvolvimento de algum grupo específico é alvo de resistência, mas hoje a empresa tem uma boa aceitação por parte das lideranças, tanto que os próprios tutores são líderes da empresa. Essa resistência foi vencida, na medida em que foi compreendido que o JP não é um concorrente de quem já atua na companhia, mas sim uma pessoa que traz outras possibilidades de reflexão para a empresa e não é a única porta de entrada e de desenvolvimento de lideranças na Leroy Merlin. Benefícios – Dentre os benefícios gerados pelo Programa Jovens Profissionais, a diretora de RH pontua um como sendo o principal: no dia a dia observou-se uma mudança significativa dos líderes que são tutores de JPs, uma vez que eles se mostraram mais abertos para lidar com colaboradores pertencentes à geração Y, notadamente com os anseios e o ritmo mais acelerado por esses talentos. Por fim, Cynthia Serotti diz que em médio prazo outros benefícios começarão a surgir, pois o programa ainda é considerado recente. “Hoje, os benefícios podem ser observados na acolhida desses jovens profissionais, que aprendem e ao mesmo tempo nos ensinam. A diversidade e a diferença passam a ser mais bem aceitas, transformando nosso ambiente. Estamos conseguindo integrá-los de uma maneira positiva para todos. Seus questionamentos, suas dúvidas, a curiosidade fazem com que tenhamos que nos mexer e refletir nossas práticas”, conclui.

Texto escrito por: Patricia Bispo

 

HR Hunter, Consultoria de Recursos Humanos do Rio de Janeiro, tem como expertise: Recrutamento e Seleção, Treinamento Comportamental, Plano de Cargos e Salários, Pesquisa de Clima e Coaching.